25 de set de 2008

Oficina - 1ª parte

Oficina de Processo Criativo - Design Têxtil

Ministrante: Letícia Costa Gomes¹
(estudiocollore@yahoo.com.br)


Conceitos que abrem caminhos


Uma relação entre design e cultura está na produção de linguagem, onde o design de moda dá origem ao design de superfície de estamparia têxtil, ou somente design têxtil.
DESIGN DE SUPERFÍCIE é o projeto de decoração de uma superfície, abrangendo distintos materiais e produtos.
DESIGN TÊXTIL é o projeto específico para uma superfície têxtil, é o que conhecemos como ESTAMPA ou PADRONAGEM em tecidos.
A INSPIRAÇÃO pode surgir de qualquer estímulo que desperte o processo criativo e para que isto ocorra sua imaginação deve ter uma visão estética²
e criativa deste fazer.

Categorias de FONTES TRADICIONAIS:

· Figurativas (formas da fauna, corpo humano)
· Narrativas (objetos em geral)
· Cênicas (paisagens diversas)
· Florais (formas da flora)
· Formas geométricas (círculo, quadrado, esfera, pirâmide)
· Superfícies com textura (peles, pedras)

Para ter-se um ESTILO PRÓPRIO é importante saber como interpretar – de forma subjetiva - as fontes tradicionais dentro de sua gama de categorias, apropriando-se de elementos distintos de diversas fontes e criando algo novo e inusitado.
MÓDULO é uma unidade da imagem a ser repetida (pode também ser rebatida e/ou espelhada, etc)
Uma COMBINAÇÃO surge do uso de diferentes IMAGENS, MATERIAIS e CORES, podendo dar origem a uma estampa, seja ela têxtil ou de outra natureza.


Estágios para o desenvolvimento de estamparia têxtil:

1) Fazer a seleção de uma ou mais fontes de referência;
2) Escolher uma ou mais técnicas e instrumentos (estêncil, carimbo, mão-livre, lápis de cor, caneta hidrocor, tinta, etc.);
3) Desenvolver uma imagem nova com base na interpretação de fontes de referência e com o uso de técnicas e materiais apropriados;
4) Usar uma ou mais imagens criando um layout e/ou um croqui.


Para um efetivo desenvolvimento criativo é interessante se ter um “caderno de inspiração” onde sejam feitos registros, rascunhos, anotações, desenhos, sejam afixados recortes e colagens de amostras de tecido e outros materiais, a fim de auxiliar no desenvolvimento da sensibilidade visual e da imaginação.
Com isto, cria-se uma consciência visual que faz estar-se atento ao que ocorre ao redor, absorvendo e interpretando as informações, pois através desta consciência se percebe intermináveis referências.


Fontes:
www.renatarubim.com.br
http://www.coloquiomoda.com.br/coloquio2007/anais_aprovados/design_de_superficie_e_arte_processo_de_criacao_em_estamparia_textil.pdf


1- Técnica em Desenho Industrial (CEFET/RS), bacharel em Artes Visuais – Gravura (IAD/UFPel), especialista em Patrimônio Cultural: Conservação de Artefatos (IAD/UFPel).
2- Sf. Estudo das condições e dos efeitos da criação artística. (Ferreira, Aurélio Buarque de Holanda. MiniAurélio escolar. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2004.)

Nenhum comentário: