29 de mar de 2008

Artistas visuais selecionados

Individuais na Sala Frederico Trebbi, Pelotas/RS/Brasil





Secult/Pelotas, 27/março 2008, da esquerda para a direita:

Suzi Alan, Adrian Santos, Samuel Sacramento (Diretor de Artes Visuais), Letícia Costa Gomes e José Dagoberto. Além dos 4 artistas na foto, tb foi selecionado Flávio Forlin.

Seleção dos artistas visuais inscritos no Edital 01/2008 de ocupação da Sala de Exposições Frederico Trebbi: Comissão formada por representantes das Artes Visuais na cidade -UFPel, UCPel, MAPP, Concult e Secult.

26 de mar de 2008

Memorial Descritivo:

“Coisa esquecida na Caixa de Pandora”

O projeto apresentado visa dar continuidade aos estudos poéticos referentes aos entrecruzamentos de conceitos próprios da Gravura – Monotipia - com os estudos de referências mitológicas.

O projeto inicial da obra é composto de 50 caixas brancas dispostas enfileiradas lado a lado. Cada uma contém uma gravura ao fundo, sendo que sua referida matriz (a linha em si), estará disposta na porção inferior da caixa.
Segundo uma versão da história, Pandora recebera de presente uma caixa onde cada deus colocara um bem; tomada pela curiosidade em saber o que havia dentro da caixa, inadvertidamente ela abriu a mesma, liberando os bens ali contidos, restando somente a esperança.
Creio que a proposta, onde uma seqüência de caixas abertas e sem tampas, onde se vê dezenas de imagens de labirintos emaranhados, faz acreditar que a esperança projeta-se constantemente de cada módulo no desenrolar dos percursos – os quais sugiro como caminhos e descaminhos referentes à nossa vivência.

Cada caixa contém uma gravura distinta, uma matriz ímpar, uma esperança única, esperança essa que é por si um ato constante de esperar, desejar...


Texto de Letícia Costa Gomes

Coisa esquecida na Caixa de Pandora

Projeto de novo trabalho, selecionado pelo edital 2008 da SECULT/Pelotas
Sala Frederico Trebbi, retornando ao Hall da Prefeitura Municipal






Projeto da obra “COISA ESQUECIDA NA CAIXA DE PANDORA” -
Alinhamento em perspectiva

Projeto da obra "COISA ESQUECIDA NA CAIXA DE PANDORA" -

detalhes descritivos

Projeto da obra “COISA ESQUECIDA NA CAIXA DE PANDORA” -
Alinhamento frontal

Projeto da obra "COISA ESQUECIDA NA CAIXA DE PANDORA" -

Alinhamento em perspectiva de sequência de módulos

16 de mar de 2008

Panorama do espaço: galeria Dmae, PoA/RS - Mostra Desenho no Plural

Panorama do espaço: galeria Dmae, PoA/RS - Mostra Desenho no Plural

Lilian Maus enviou ao grupo da mostra Desenho no Plural o texto seguinte, referindo-se justamente à pluralidade do desenho...

Trecho de uma entrevista com Cildo Meireles: "O que é desenho para você? Seria preciso saber, antes, o que é o 'enho'. O DESenho talvez tenha alguma coisa a ver com a sombra, com o lado sombrio do desenhador. Revela, pela sombra, o lado claro das coisas. Ou talvez tenha alguma coisa a ver com a vida interior do sujeito, com o significado mais profundo e íntimo das coisas. Desenhar é um processo muito rápido. Mais rápido que o desenho só a mente. Entre as muitas linguagens ou procedimentos, o desenho é o que revela o menor tempo entre o momento da revelação e sua formalização.Para definir de outra forma do que é o desenho, Cildo narra algo que lhe ocorreu em Paraty, em 1969: Um dia, pela manhã, ao abrir a porta da casa senti uma vibração estranha no ar. Por puro instinto, olhando a minha direita, fechei um 'copo-de-leite', em cujo interior estava um beija-flor. Foi algo indescritível: pegar um beija-flor com a mão apenas para ter o prazer de libertá-lo. O ato de desenhar me dá uma sensação semelhante: vivenciar algo muito rápido, quase inapreensível. O desenho é algo tão frágil e veloz como o beija-flor."
______________________________________
Catálogo (2005) – Cildo Meireles: alguns desenhos (1963-2005), p. 57.

13 de mar de 2008

DESENHISTAS NO PLURAL




Da esquerda para a direita:
NINA MORAES, LILIAN MAUS, JAMES ZORTÉA, JULIANA LIMA, NATHÁLIA GARCÍA, LETÍCIA COSTA GOMES, CARLOS ASP E GERSON REICHERT

Terça-feira, 04 de março de 2008.

9 de mar de 2008

CORREIO DO POVO


Matéria do jornal Correio do Povo. Foto detalhe da obra O Fio da Entre[meada],
de Letícia Costa Gomes

Quarta-feira, 05 de março de 2008.

FOTO ABERTURA - DESENHO NO PLURAL


Foto momentos antes da abertura
destaque para a saia que fiz especialmente para a exposição, com a mesma técnica da obra.

DIVULGAÇÃO EXPOSIÇÃO DESENHO NO PLURAL



GALERIA DE ARTE DO DMAE


PREFEITURA DE PORTO ALEGRE
http://www.portoalegre.rs.gov.br/dmae/


REVISTA APLAUSO Nº 90


REVISTA APLAUSO Nº 90

Em primeiro plano, detalhe da obra de Nathália García, ao fundo, obra de Letícia Costa Gomes
Site da revista APLAUSO:
Forçando a ponta do lápis
04/03/2008

"Lá se foram os tempos em que o desenho era só linha e ponto no papel. A turma da exposição coletiva Desenho no Plural, que abre nesta terça-feira (04/03) e segue em cartaz até o dia 26 de março, quer justamente ilustrar algumas fronteiras dessa técnica. Enquanto James Zortéia rabisca com feixes de luz, Nathália Garcia fia uma teia que sai do canto da sala e toma conta do espaço (foto). O campo livre para essa experimentação é a Galeria de Arte do DMAE (rua 24 de Outubro, 200), aberta das 8h às 17h30.
A idéia foi de Juliana Lima, que chamou sete artistas para compor a mostra. Cada um com linguagem e procedimento distintos. Carlos Asp riscou com carvão o chão e a parede. As colunas da galeria foram escolhidas por Nina Moraes para receber suas figuras fantásticas. “Não é o desenho no papel, é o desenho como linguagem múltipla. A linha e o ponto podem ser muito complexos, por isso o nome Desenho Plural”, desenvolve Nina, que opta pelo tradicional lápis de grafite.
Letícia Costa explora o desenho por meio da monotipia. Já Tchello d’Barros captura linhas imaginárias nas superfícies de contato do corpo. E Gerson Reichert, por sua vez, faz interferências com palavras, tintas e recortes em uma imagem. A pluralidade também está expressa nas origens dos artistas, uns veteranos, outros ainda estudantes ou vindos de outras áreas, como a publicidade. Aproveite porque os trabalhos de Nina, Nathália e Asp são inéditos e efêmeros, já que pensados exclusivamente para o espaço da galeria. "
Desenho no Plural – exposição coletiva

Abertura: 4 de março às 19h
Encerramento: 26 de março de 2008.
Visitação: de segunda a sexta, das 8h às 17h30min
Local: Galeria de Arte do DMAE – R. 24 de Outubro, 200.
Porto Alegre/RS/Brasil
Mais informações: tel.: (051)32899722 ou galeriadearte@dmae.prefpoa.com


Texto para mostra Desenho no Plural - por Lilian Maus*

Quem de nós nunca recorreu ao desenho para expressar uma idéia, ou até mesmo para localizar-se na cidade? O desenho, que surge como a primeira forma gráfica de expressão do pensamento, ao longo de sua história, adere novos meios e formas.
Desenho é linguagem, pensamento, ação. Às vezes, ele flui num único golpe. Tão logo nasce como pensamento, escorre pelas veias, vertendo pela caneta em direção à superfície marcada.
Feito de linhas ou pontos deslocados, o desenho registra o atrito do corpo com a superfície, marca um percurso, onde a linha é o limite que poderá ainda borrar-se. Inscrita ou projetada, a linha diferencia campos, organiza o espaço e as idéias.
O desenho revela pela sombra por pertencer ao mundo das projeções. Nele lançamos nossos espíritos e também gravamos nossas memórias. Para tanto, é preciso criar estratégias e métodos. No meio do caminho, alguns projéteis são lançados e outros perdidos.
Com a linha nas mãos, Nathália García projeta/instala sua teia planificada sobre a galeria. Através de monotipias, Letícia Costa Gomes convida-nos a caminhar com os olhos em seus labirintos. Tchello d'Barros captura linhas imaginárias nas superfícies de contato do corpo. Gerson Reichert apodera-se de um convite para lançar palavras, encobrir superfícies e deslocar sentidos. Carlos Asp explora chão e parede, ao grafar a carvão corpos circulares rumo ao sem-fim. Nina Moraes faz do desenho trepadeira, de onde nascem os seus personagens. James Zortéa sobrepõe planos e projeta sombras de um jardim animado no espaço subterrâneo do DMAE.

Lilian Maus

* Mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais do Instituto de Artes, UFRGS.

ABERTURA DA EXPOSIÇÃO DESENHO NO PLURAL

EXPOSIÇÃO DESENHO NO PLURAL

Abertura: 4 de março às 19h
Encerramento: 26 de março de 2008.
Visitação: de segunda a sexta, das 8h às 17h30min
Local: Galeria de Arte do DMAE – R. 24 de Outubro, 200.
Porto Alegre/RS/Brasil
Mais informações: tel.: (051)32899722 ou galeriadearte@dmae.prefpoa.com






Letícia Costa Gomes




Letícia Costa Gomes



Carlos Asp

Nathália García

Tchello D'barros



Gerson Reichert
Nina Moraes

James Zortéa