10 de ago de 2011

Atividades da Pós-graduação: A renda Nhanduti

Recentemente conheci a técnica artesanal de renda Nhanduti, Tenerife ou Renda do Sol e fiquei encantada, principalmente por sua origem. Etimologicamente a palavra vem do guarani - Ñanduti - e significa TEIA DE ARANHA! Alguma semelhança com o tema de minha monografia NÃO é mera coincidência! 
De um modo geral a Nhanduti é vista em objetos como trilhos, toalhas de mesa, almofadas e similares, contudo ela também é usada em peças de vestuário e acessórios de moda, incrementanto e dando personalidade e estilo a quem usa.
A seguir um breve conto que encontrei sobre a origem da técnica e algumas imagens de vislumbram a beleza desta arte popular!

Detalhe de trabalho multicolorido em Nhanduti (foto)


Bastidores para confecção da renda Nhanduti (Foto)


Mulheres em Itaguá vestindo e produzindo renda Nhanduti (foto)


 
Colete confeccionado com renda Nhanduti (foto)

Nhanduti de Atibaia (foto)

"A origem do nhanduti, diz a lenda, está ligada a uma inconsolável indígena cujo amado desapareceu no dia do casamento. Ao achá-lo morto na selva fechada, ela se abraçou ao seu corpo, velando-o toda a noite. Ao amanhecer, a luz do sol mostrou que o guerreiro morto estava coberto por um belo manto de teias tecido pelas aranhas. A noiva buscou fios e agulhas e, copiando o trabalho das aranhas, teceu para o amado uma deslumbrante mortalha, criando a primeira peça de nhanduti. A renda Nhanduti ou Tenerife é uma categoria de renda difundida nos países latino americanos pela dominação espanhola e que teria alcançado o Brasil especialmente através do Paraguai. Uma trama radial é montada pela rendeira sobre um bastidor onde o desenho final vai se definindo conforme a variação de pontos básicos executados sobre ela. É conhecida também por renda do sol porque os vários motivos são tecidos sobre a trama que parte de um centro, assemelhando-se a uma teia de aranha, que é o significado do seu nome paraguaio (na língua guarani), “ñanduti”." Fonte

E não é que a Nhanduti já inspirou até mesmo grandes nomes da literatura e da arte brasileira? Olha só uma gravura do Livio Abramo e um trecho de um poema Guimarães Rosa aqui. Muito bacana!

5 comentários:

Raquel Avila disse...

Oi Letícia, que linda a renda! Adorei a história da renda também!
Parabéns pelo blog e pelos seu trabalho, está lindo!
Vou continuar visitando para ver novidades.

Abraços,
Raquel

LETÍCIA COSTA GOMES disse...

Oi Raquel, muito obrigada guria! Fico feliz q tenhas gostado! Bjk, Letícia

Mariana disse...

Letícia, gostaria de saber onde vc. adquiriu o bastidor redondo para o nhanduti, me responda por favor.
Mariana Serpe

Mariana disse...

Letícia, gostaria de saber onde vc. adquiriu o bastidor redondo para nhanduti, me responda por favor.
Mariana Serpe.

bethzy disse...

Olá Letícia,tudo bem?Eu tive o prazer de achar essa renda linda na net e seu blog achei hoje e resolvi conhece-lo tb,gostaria que vc me tirasse uma dúvida sobre essa renda.A quantidade de pregos é sempre (par)?

bjimmm!